Inteligência Emocional na Gestão

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Homem com expressão de esgotamento ao lado de uma mulher, em cima da mesa de vidro um notebook e uma xícara de café

A Inteligência Emocional na gestão é extremamente importante para o andamento de um negócio. Nesse artigo vamos entender como a inteligência emocional age nos negócios. Sabemos que um bom gestor deve ter diversas competências: Visão, técnicas de negociação e ser um líder. Saber lidar com a pressão é essencial para todo mundo que tem ou quer ter um negócio, afinal, qualquer desequilíbrio pode colocar todo o negócio em risco.

A importância

Pouco se fala em inteligência emocional na gestão. Muitos gestores acabam desistindo de seus sonhos, projetos em momentos de pressão. É preciso compreender as suas emoções para um negócio consistente e de sucesso.

Mas o que é inteligência emocional?

Inteligência Emocional está relacionada a habilidades tais como motivar a si mesmo e persistir mediante frustrações; controlar impulsos canalizando emoções para situações apropriadas; praticar gratificação prorrogada; motivar pessoas, ajudando-as a liberarem seus melhores talentos, e conseguir seu engajamento a objetivos de interesses comuns. Ao longo desse texto você vai aprender a identificar e algumas dicas para lidar com as situações impostas.
Você pode entender melhor o contexto por trás no artigo Entendendo a Inteligência Emocional.

Entretanto, o gestor se encontra boa parte do tempo aprimorando conhecimentos técnicos, executando pesquisas de mercado, buscando inovação e coisas que retorno a curto-médio prazo. Gerenciar um negócio não é fácil. A inteligência emocional para gestores pode ajuda-los no processo, buscando sempre entender suas emoções e usa-las a seu favor.

Gerenciamento de crise

Em um momento de crise, seja ela financeira ou interna o gestor deve estar no controrle da situação, demonstrar confiança a seus colaboradores e negociar com fornecedores, patrocinadores e clientes de forma eficiente. Se o gestor não sabe lidar com a crise, dificilmente irá reverter a situação para o melhor da empresa.

O mercado não perdoa!

O mundo dos negócios enfrente um nível alto de pressão, competitividade e mudanças em curtos períodos. Quantos amigos ou pessoas que você conhece já deixaram de fazer parte do mercado?

Esse universo, somando com a responsabilidade de gerir bons relacionamentos no ambiente de trabalho, gerar empatia, ser autoridade e referência no seu mercado torna necessário o devido desenvolvimento e compreensão das emoções.

Pessoas que dominam suas emoções e sabem empregá-las e adapta-las conforme necessário se destacam na multidão.

Porém, podemos dizer que a inteligência emocional é, atualmente, um grande diferencial para os gestores consistentes.

Dessa forma, essa característica é necessária para disseminar pelos colaboradores, mantendo a equipe em sinergia, respeitando seus limites, desenvolver seu lado emocional pode ajudar e muito o resultado da sua empresa.

Tudo isso é importante, pois caso a liderança não tenha inteligência emocional madura, é provável que o time fique desmotivado ou que esse mesmo gestor não trate as pessoas como deveria, causando insatisfação nos clientes internos e externos e, consequentemente, colocando os resultados em risco.

Como começar a desenvolver sua inteligência emocional?

Fiquei interessado! E agora?

O primeiro e provavelmente o passo mais importante é reconhecer a necessidade. Caso queira saber um pouco mais sobre a inteligência emocional você pode baixar gratuitamente o nosso ebook “O que é a inteligência emocional”.

Caso queira entrar em contato com o especialista e começar a trabalhar a fundo na sua inteligência emocional basta clicar no botão abaixo

Isso e muito mais conteúdos estão disponíveis no nosso Instagram.

Deixe um comentário!

Sobre mim

Márcio Dias é Administrador de Empresas, especialista em Inteligência Emocional, natural de Rio Grande – RS, estudo dos perfis humanos(Eneagrama), desenvolvimento de liderança e especialista em Programação Neurolinguística.

Artigos recentes

Siga-nos

FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADES